Sobre planejamento e “O Pequeno Príncipe”…

Antoine de Saint-Exupéry, Bauman e Mário Quintana foram os “ingredientes” que usei para falar de planejamento. Você não leu errado, a obra “O Pequeno Príncipe” foi o principal elemento da minha palestra no Share 2014, no dia 22 de março, em Porto Alegre.

Planejamento é a arte de contar histórias. Assim sendo, usei um clássico da literatura mundial para percorrer os conceitos estruturantes dessa disciplina tão instigante. Outro argumento que justifica essa escolha, é que poucos livros conseguem ser interessantes para públicos tão distintos – é fascinante para crianças e dá lições para adultos.

Metaforicamente, um bom planejamento precisa ser cativante e fazer sentido para quem “assina o cheque” (e pode compreender pouco de estratégia de comunicação) e também para quem estará a frente do projeto.

No meio do caminho teve espaço ainda para Bauman e sua modernidade líquida. Considerando que o evento é em Porto Alegre, terra natal do poeta Mário Quintana, nada melhor que uma frase dele para encerrar. Na realidade, o verso é como ele define o trabalho de um escritor, mas se adapta perfeitamente para o trabalho de um planner. Não por acaso, orgulhosamente me defino como contadora de histórias.

Se ajeite confortavelmente na cadeira ou sofá e confere só como ficou 🙂

Deixe uma resposta