Manual

Deixe-me livre, levando os necessários tombos para aprender que há limites, condições e consequências. Mantenha distância para que eu possa experimentar o gosto de perder, ganhar, acertar, errar, sabendo a hora de regressar e estar ao alcance das mãos para me censurar ou celebrar comigo.

Não me deixe esquecer do sentimento de proteção presente em cada abraço – mesmo um despretensioso – e a força de um olhar, capaz de dizer mais do que horas de conversa.

Tome distância, mas não a ponto de me impossibilitar ouvir uma deliciosa gargalhada.

Critique e desconstrua meus projetos e sonhos, sem meias palavras, complacência ou receio de ofender. Mas o faça com responsabilidade, seriedade e convicção a cada palavra que proferir. Uma opinião sincera é necessária, mesmo que difícil. E em meio aos “destroços”, assegure-se que restaram elementos que servirão de base à construção de uma nova empreitada, agora um pouquinho sua também.

Impulsione-me a ser menos pragmática e dependente de terra firme, mas me dê um banho de Eduardo Galeano quando eu Quintanear em demasia. O lirismo, embora necessário, não pode ignorar as adversidades que perpassam cada instante de nossa vida.

Procure conhecer minhas histórias pois a soma delas fazem eu ser quem sou. Mas não busque respostas. Não é possível dimensionar as recordações e marcas de terceiros. É complicado dividir fantasmas que só fazem sentido no meu mundo. Ao invés de explicações, sinta. No fundo importa pouco o que me tornou como sou. A grande questão é se faço bem ou mal ao seu coração sendo assim.

Por fim, abdique de expectativas de perfeições e verdade absolutas. Posso ser leve e moleca como os versos de Quintana ou carregar preocupação com o futuro como o mestre Galeano. Um pacote de imperfeições e incertezas e a crença que a solução dos problemas não está em deixar o tempo passar e sim na nossa capacidade de nos permitirmos. Ah, e buscando sempre ostentar um sincero e largo sorriso, para que seja a primeira e a última expressão a cada encontro e despedida.

 

Deixe uma resposta